no Tacho abre as portas à Grande Rota do Cozido Barrosão


Os sabores da avó sempre, onde e quando quiser...

Seja "no Tacho", seja em sua casa poderá saborear a elevadíssima seleção de peixes frescos da nossa costa, as mais tenras carnes de origem certificada e os paladares frescos e suculentos das frutas e legumes da estação. Uma experiência única e inesquecível, apresentada com a mestria e o sabor das receitas antigas que fazem recordar memórias de tempos idos e paladares há muito esquecidos. 

As propostas mais ecléticas de Baco!

Descobrir a magnífica carta de vinhos à disposição "no Tacho" é um desafio incontornável para os amantes do néctar dos deuses que aqui descobrem as mais profundas raízes da Bairrada - berço deste restaurante. As restantes regiões vinícolas demarcadas não deixam no entanto de estar presentes mas de uma forma muito personalizada e intimista por intermédio de vinhos exclusivos, pouco conhecidos e com origem em pequenos produtores.

Produtos sazonais, genuínos, de elevada qualidade e de produção artesanal

Privilegiando sempre os produtos da estação, o "no Tacho" preocupa-se em apresentar uma carta de verão e de inverno inspirada nas tradições gastronómicas mais antigas da nossa montanha e do nosso mar.

Territorial e personalizado

O "no Tacho" conta com a assinatura do Chef Vitor de Oliveira - bairradino de gema - cujo percurso profissional levou desde tenra idade, em busca de saberes e sabores da sua região e de muitos outros territórios nacionais e ibéricos. Hoje, sempre que pode os cantos mais recônditos deste nosso Portugal em busca de conhecimento e de inspiração.

Defensor acérrimo do respeito pelo produto e pelas tradições ancestrais, o chef executivo do "no Tacho", faz questão de cumprir religiosamente as orientações das receitas originais, não deixando - no entanto - de marcar com um cunho muito pessoal, todas as suas propostas gastronómicas, optando por incorporar alguns toques de contemporaneidade aqui e acolá e até de apresentar alguma excentricidade sensorial com notas inesperadas, irreverentes e de cert forma até paradoxais. Apesar de tudo, nunca macula a simplicidade dos sabores fortes da terra, dos aromas genuínos, do carácter robusto dos produtos da montanha e do mar.
Amante dos vinhos da Bairrada, Vitor de Oliveira não tem pejo em se assumir como embaixador desta região que o viu nascer, razão pela qual a assume de corpo e alma, como a grande primordial vínica na muito eclética carta do restaurante que dirige.